sexta-feira, 28 de agosto de 2009

A roda do ônibus



A roda do ônibus roda, roda, roda, roda
A roda do ônibus roda, roda pela cidade

A porta do ônibus abre e fecha, abre e fecha, abre e fecha
A porta do ônibus abre e fecha pela cidade.

Os passageiros sobem e descem, sobem e descem,sobem e descem
Os passageiros sobem e descem pela cidade.

O neném faz nhé, nhé, nhé, nhé, nhé, nhé
O neném faz nhé, nhé, nhé pela cidade.

A mamãe faz xiii, xiii, xiii, xiii, xiii
A mamãe faz xiii, xiii, xiii pela cidade

A buzina faz bi, bi, bi, bi, bi, bi
A buzina faz bi, bi, bi pela cidade.

Música: Boneca de lata



Minha boneca de lata bateu a cabeça no chão
Levou mais de uma hora pra fazer a arrumação
Desamassa aqui pra ficar boa

Minha boneca de lata bateu com o nariz no chão
Levou umas duas horas pra fazer a arrumação
Desamassa aqui, desamassa ali pra ficar boa

Minha boneca de lata bateu com a barriga no chão
Levou umas três horas pra fazer a arrumação
Desamassa aqui, desamassa ali, desamassa aqui pra ficar boa

Minha boneca de lata bateu o bumbum no chão
Levou umas quatro horas pra fazer a arrumação
Desamassa aqui, desamassa ali, desamassa aqui,desamassa ali pra ficar boa

Minha boneca de lata bateu o joelho no chão
Levou umas cinco horas pra fazer a arrumação
Desamassa aqui, desamassa ali, desamassa aqui,desamassa ali,desamassa aqui pra ficar boa

Vamos cantar...


JACARÉ
Sou o jacaré, sou o jacaré
ninguém quer brincar comigo
então vou dar no pé.
Ele é o jacaré, ele é o jacaré
escondam a barriga e o dedão do pé.

PINTINHO AMARELINHO
Meu pintinho amarelinho
Cabe aqui na minha mão, ma minha mão
Quando quer comer bichinho com seu pesinhos ele cisca o chão

Ele bate as asas, ele faz piu-piu
Mas tem muito medo é do gavião.
Ele bate asas, ele faz piu-piu, mas tem muito medo é do gavião.

Casinha


FUI MORA NUMA CASINHA
Fui morar numa casinha, nhá
Infestada, da de cupim, pim, pim
Saiu de lá, lá uma lagartixa, xá
Olhou pra mim, olho pra mim
E fez assim...

Fui morar numa casinha, nhá
Infestada, da de cupim, pim, pim
Saiu de lá, lá uma princesinha, nhá
Olhou pra mim, olhou pra mim
E fez assim...

Pula sapinho...


O SAPO
O sapo não lava o pé, não lava porque não quer, ele mora lá na lagoa, não lava o pé porque não quer, MAS QUE CHULÉ!!!!!

SAPO CURURU
O sapo cururu
Na beira do rio
Quando o sapo treme, ó maninha
É porque tem frio.

A mulher do sapo
Teve estar lá dentro
Fazendo rendinha, ó maninha
Pro seu casamento.

A canoa virou



A canoa virou, por deixar ela virar
foi por causa da(o)........................,que não soube remar.
Se eu fosse um peixinho e soubesse nadar
eu tirava a (o).................., lá do fundo do mar.

Para acolhida: Dona aranha


DONA ARANHA
A dona aranha subiu pela parede
Veio a chuva forte e a derrubou
Já passou a chuva e o sol já vem surgindo
E a dona aranha continua a subir

Ela é teimosa e desobediente sobe,sobe, sobe
Nunca esta contente.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Volte sempre!


De ollho na Gripe...

Relembrando um pouquinho sobre Piaget...



PIAGET – UM “EINSTEIN” NA PEDAGOGIA

Como biólogo, analisou o desenvolvimento a partir desta perspectiva, buscando relacionar e criticar as explicações dos desenvolvimentos orgânicos e os do comportamento, apresentando o processo de fenocópia como capaz de explicar estas relações entre o orgânico e o meio.
Como psicólogo, questionou a própria psicologia, vinculando uma visão de evolução e adaptação biológica e seus “mecanismos comuns” com as explicações psicológicas da adaptação geral e intelectual.
Como epistemólogo, buscou a solução para a questão de “como é possível alcançar o conhecimento”, como se passa do não saber para o saber, compreender explicar, através da interação entre organismo e meio.
É necessário, entretanto, ter clareza na interpretação do que é entendido como conhecimento, meio, interação, assim como de outros tantos termos referidos por ele, cujo significado diverge em muito do senso comum e tem ocasionado inúmeras críticas a sua teoria, tais como, a não valorização do social, do afetivo, do requisito de “adaptar” indivíduo ao meio, deste meio ser constituído de objetos, ...
“Fenocópia é uma convergência entre o resultado de uma adaptação (fenotípica) e uma mutação (genotípica) que vem a substituí-lo e que geralmente se explica mediante a intervenção de processos gênicos”. (Adapt. Vital e psicol. da intel. p. 03)

Aprendizagem segundo Piaget

Não enfatiza o conceito usual de aprendizagem: “Modificação do comportamento resultante da experiência”, por considerar que esta definição traz idéia de dependência passiva do meio ambiente, e que para eles, na assimilação organismo se impõe ao meio. Piaget prefere falar em “aumento do conhecimento” que ocorre assim: Só há aprendizagem (aumento de conhecimento) quando o esquema da assimilação sofre acomodação.
Na tentativa de responder à questão “Como tem origem e evolui o conhecimento”, Piaget investiu mais de 50 anos de pesquisa. Seu interesse epistemológico foi aos poucos configurando um trabalho também psicológico, pois embora o objeto de seu estudo fosse o conhecimento, a necessidade de abordar a gênese deste conhecimento levou-o a um outro objeto de estudo: o desenvolvimento da criança.
A maneira pela qual orientou esta pesquisa nos leva a perceber três momentos diferentes na construção de seu trabalho, cada um desses momentos associado a um modelo psicogenético.
Por volta de 1923/4 Piaget dedicou-se a analisar os protocolos de observação de seus filhos, feitos por sua esposa e assistente Jacqueline Chatenay. Nesta época, ele estuda o pensamento através da linguagem e conclui sobre a íntima relação desses dois processos.
De 1932 em diante, Piaget constrói o mais completo de seus modelos psicogenéticos. Neste momento, ele estuda paralelamente o desenvolvimento cognitivo, o julgamento moral e a linguagem e consegue perceber a relação entre as estruturas cognitivas e o desenvolvimento social. Piaget aborda a competência moral, que á compreensão do caráter consensual das regras sociais, na relação com a competência cognitiva, que implica na capacidade de lidar com idéias abstratas e as relaciona com a competência lingüística, que é a capacidade de expressar essas idéias, regras e sentimentos.
A partir de 1940, entretanto, Piaget passa a dedicar-se ao seu terceiro modelo psicogenético, voltando a estudar exclusivamente a cognição, seu interesse inicial.
Foi a partir deste interesse que surgiram então o estudo do Desenvolvimento cognitivo e seus Estágios (Sensório-motor, Pré-operatório, Operatório concreto e Operatório formal).

Desenvolvimento Infantil



O que podemos estimular e qual a reação que a criança apresenta na idade:
1 mês - Coloque ao alcance das mãos do bebê brinquedos ou objetos com texturas e formas diferentes.
Reage ao cheiro e à voz da mãe.
2 meses - Estimule o bebê a alcançar objetos macios.
De bruço, levanta a cabeça.
3 meses - Faça cócegas no bebê para provocar risadas.
Começa a descobrir as mãozinhas.
4 meses - Brinque muito com o bebê, principalmente batendo palmas.
Começa a rir.
6 meses - Toque o seu bebê e deixe qe ele toque você. Ele vai adorar!
Já senta, apoiado em almofadas.
8 meses - Fale o nome das partes do corpo e peça para ele repetir.
Se você bater palmas, tentará imitá-lo.
10 mese - Brinques com blocos; ele tentará fazer uma torre.
Conhece seus brinquedos favoritos.
12 meses - Enquanto você lê para ele, aponte os objetos do livro e diga seus nomes. Consegue andar segurado pela mão.
2 anos - Se locomove com facilidade, fala frases ainda que não corretamente.
Leve ao parque, ele vai adorar.
3 anos - Com curiosidade aguçada acham o mundo muito divertido.
Estimule seu filho a interagir com outras crianças.
4 anos - Se interessam muito pelas relações dos adultos, pais e mães, filhos e pais e filhos e mães.
Gosta de falar da família e suas histórias.
5 anos - Linguagem e pensamento em pleno desenvolvimento ativo.
Oportunidade de associar palavras e quantidades.
6 anos - Encantamento e marca para o igresso do mundo da leitura e escrita. Aprecia brincar com livros, jornais e revistas.

Lá vem o pato...

video

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

É diversão na sala de aula!

video

Música na Educação Infantil

video

Refletindo sobre o ensino de História, Geografia e Ciências



Indicadores de Qualidade

Ambiente educativo – respeito, alegria, amizade,disciplina, solidariedade.
Prática pedagógica – reflexão coletiva sobre a proposta da escola e o uso do livro.
Avaliação – avaliação dos alunos, da escola e dos profissionais.
Acesso e permanência do sucesso – Quem são nossos alunos? Como interagem com os livros? Qual é o envolvimento da família com os livros?

Ação Pedagógica em Geografia
Dinamizar:
A organização da Sociedade e da Natureza
Produção do Espaço
Transformação e Modificação da Natureza lugar, paisagem,natureza e território.
Habilidades: observação, descrição, representação espacial, análise e síntese.


Atividades com os alunos

Leitura e escrita – contato com textos informativos e literários. Buscar informações, pesquisar, formular perguntas, comunicar idéias –Conceitos que poderão ser registrados com desenhos e/ou escrita.

Trabalho com imagens e mapas – ler e interpretar a linguagem dos símbolos gráficos como: fotos aéreas, mapas, tabelas e gráficos.

Leitura de mapas – ponto de referência, escala(distância), legenda(representação cartográfica - símbolos)
Leitura de fotos – registro da memória coletiva.
Imagem – complementa a informação, conhecimento da temática, desenvolvendo comparações.


A História ontem e hoje

Abordagem,memorização de fatos históricos e datas comemorativas.
Ponto de partida: a história de vida da criança e linha de tempo.
Construção de cidadania a partir do conhecimento histórico.
Trabalhos com calendários.

Ação com os alunos em História

Habilidades - observação, investigação, análise, síntese.

Considerações - questões sociais, noções essenciais do pensamento histórico, temporalidade, bens culturais.

Leitura e escrita – conceitos que precisam ser registrados.
Fontes documentais – fotos, gravuras, pinturas,objetos com significado histórico.
Relatos históricos
Leitura de mapas
Leitura da imagem

Ação Pedagógica em Ciências

Ponto de partida – situações-problema capazes de gerar reflexão - conhecimento prévio(senso comum)
Perguntas para condução do ato de pensar
Habilidades: observação, análise, investigação, elaboração de hipóteses
Trabalho com experimentos
Leitura
Leitura da imagem
Escrita – registro de conceitos e experimentos.

Ação com o aluno

Leitura
Escrita
Concepções científicas através: conversa, desenho,produção textual
Desenvolvimento da curiosidade
Observação dos fenômenos
Reflexão
Pesquisa

Semana da Pátria


Oi pessoal.
Encontrei este material no "Cantinho Lúdico".
É maravilhoso! Parabéns!

Vale a pena conferir...


PROJETO SEMANA DA PÁTRIA

Justificativa

A comemoração da “Semana da Pátria” é indispensável em nossas escolas, pois proporciona ao professor oportunidade de:
• Formar na criança o conceito de Pátria
• Despertar o sentimento de patriotismo
• Formar atitude de respeito aos símbolos do Brasil
• Desenvolver a compreensão do passado histórico e da significação da data “sete de Setembro”]

Objetivos:

• Incentivar o amor à Pátria
• Compreender a razão dos festejos da Semana da Pátria
• Reconhecer a Bandeira como símbolo da Pátria
• Conhecer o fato mais importante da História do Brasil
• Valorizar a escola como participante de grandeza da Pátria

Atividades:

Conversas e discussões sobre:

• O que é a Pátria
• O que aconteceu no dia 7 de setembro
• A figura de D. Pedro I
• Os símbolos da Pátria
• O grito da Independência
• A vida no Brasil antes e depois da Independência

Produção de texto:

• À vista de gravuras alusivas à data usar o tema “Eu amo minha Pátria”
• Elaboração de frases referentes à pergunta: - Por que gosto do Brasil?

Planejamento e relatórios sobre:

• O que vamos fazer na Semana da Pátria
• Como vamos desfilar
• O que aprendemos na Semana da Pátria

Culminância

• Os alunos confeccionam chapéus ou viseiras com as cores da Bandeira do Brasil e desfilam pelo pátio ou ruas do bairro acompanhados com fanfarra ou bandinhas.
• Poderão levar também balões verde e amarelo
• Exposição “Verde-amarela” de todos os trabalhos realizados durante o projeto.

CORO FALADO - INDEPENDÊNCIA DO BRASIL

Apresentador:

Hoje é aniversário da nossa Independência.
Vamos hoje festejar

Todos

Parabéns, pátria querida!
É o Brasil no coração da nossa gente.

1º Grupo

É o amor à terra, nossa terra.
E chega a liberdade!

2º Grupo

Brasil do 7 de setembro
Das margens do Ipiranga,
Do grito de Pedro I
Que o Brasil libertou

Todos

Independência ou Morte!

Apresentador

Assim, o Brasil passou a ser livre.
Hoje caminha, rumo ao progresso, graças ao trabalho dos seus filhos.

Grupo - Índio

Fui o primeiro habitante
E vi a chegada de Cabral
Sou índio brasileiro
E vi o Brasil nascer

Grupo – Negro
Do meu trabalho
O Brasil prosperou
E a cada dia
Maior ficou

Grupo – Bandeirante
Fundei cidades
Descobri riquezas
Eu sou o bandeirante
Que o Brasil engrandeceu

Todos

Índio, negro e branco sempre estaremos juntos trabalhando para a grandeza do Brasil

Todos cantam:
(Música do Parabéns pra você)

Parabéns vamos cantar
Em louvor ao Brasil
A sua independência
Vamos juntos festejar


TEATRINHO DA INDEPENDÊNCIA

Fonte: Cantinho Lúdico

História da Independência do Brasil

Era uma vez um principezinho que veio de uma terra muito distante chamado Portugal para morar no Brasil com sua família. Este príncipe era chamado de Pedrinho. Ele era um menino inteligente, corajoso e muito amoroso.

O povo brasileiro gostava muito dele, por isso quanto sua família teve que regressar para Portugal com urgência, os brasileiros fizeram uma baixo-assinado e foram as ruas pedir que Pedro permanecesse aqui. O povo clamava:

-Fica Pedro! - Fica Pedro! - Fica Pedro! -Fica Pedro!

O príncipe vendo aquela multidão de brasileiros pedindo que ele ficasse, respondeu:

- Se for para o bem de todos e felicidade geral da nação, eu fico.

Os brasileiros ficaram super contente e comemoram sua primeira vitória:

- Viva! Viva! Viva! Viva!

O tempo passou e um dia a princesa Leopoldina recebeu uma carta do pai de Pedro, que era rei de Portugal. Ao ler a carta ela chamou seu conselheiro José Bonifácio e disse:

- José, a corte portuguesa exige que Pedro volte imediatamente para Portugal.

Naquele mesmo instante José Bonifácio teve uma idéia.

- Alteza, escreva uma mensagem a vosso marido, peça que proclame a Independência do Brasil imediatamente.

A princesa mais que depressa escreve uma carta e manda o mensageiro entregar a Pedro.

-Vá rápido, encontre o príncipe Pedro e entregue esta carta a ele.

O mensageiro encontrou o príncipe perto do Riacho Ipiranga, descansado com sua cavalaria.

-Vossa alteza, eis uma mensagem da princesa Dona Leopoldina.

Ao ler a mensagem Pedro diz aos soldados.

-Soldados, a corte portuguesa quer nos escravizar. Laços fora, guerreiros! A partir de hoje não serviremos mais a Portugal. Ou o Brasil fica livre ou morremos por ele.

Independência ou Morte!

Todos os soldados gritaram em um só coro:

-Independência! Independência! Independência!

A partir daquele dia raiava a liberdade no horizonte do Brasil. Nosso país tinha ficado livre de Portugal.
E hino brasileiro agora poderia ser cantado em todas as redondezas com mais força e garra.




Autora: Bernadete Sena de Santana

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Fico feliz pela visita! Volte sempre!




Explorando letras


Atividade Temática:
Registrando (Letras)

O alfabeto é um conhecimento social, deve ser apresentado à criança.
A cada apresentação utilizar uma produção concreta.
A – árvore genealógica da família, avião de garrafa pet para pendurar na sala de aula.
E – música do elefante, o animal de rolinho ou balão, produzir um livro com a música “o elefante queria voar”.
I – ioiô com a letrinha na lateral.
O – ônibus de caixa de papelão ou caixa de leite.
U – história de Cachinhos Dourados, filme Irmão Urso.
Vogais – bingo, dominó de letra e desenho, ditado ilustrado, ditado relâmpago, memória, trilha, caça ao tesouro, garrafas pet com a letra na frente e dentro palavras ou objetos que iniciem com a letra.

Gurias.
Os exemplos acima servem para todo o alfabeto, não só vogais.
O alfabeto deve ser apresentado como um todo, em vários tipos de letras, e a abordagem não precisa ser na ordem alfabética. O importante é tê-lo na sala e explorar de acordo com a temática do planejamento.

Trabalhando com a abordagem "Conhecer"


Atividade Temática: Conhecer

Trabalhar preferências nos brinquedos
Combinar o dia do brinquedo
Caixa da novidade
Varal de roupas – trabalhando quantidade, masculino e feminino, cores, etc.
O uniforme da escola
Corpo – contorno do corpo, vestir o boneco com o uniforme, escolher um nome, nomear partes do corpo.
Produzir uma carteira de identidade para as crianças
Trabalhar com a certidão de nascimento
Eu – trabalhar com espelho, álbum de fotografias, preferências, pesquisar se a mãe guardou a roupinha de recém nascido para mostrar ao grupo.
Família – álbum dos principais acontecimentos, passeios que a família costuma fazer, produção de livro, poesias, músicas,texto coletivo, escrita do nome dos membros da família, linha de tempo.
Escola – trabalhar o nome da escola, o uniforme, o símbolo,agenda, trajeto, maquete, o que devemos levar na mochila, criar slogan, reconhecer as dependências da escola, a função de cada funcionário, criar uma bandeira.
Casa – tipos de casa (construir com sucata), endereço e telefone, trabalhar com encartes de lojas de móveis montando sua casa numa caixa de sapatos ou camisa, histórias de livros e fantoches.
Bairro – nome do seu bairro, localização do bairro da escola, pontos turísticos, fazer pesquisa sobre a origem do nome do bairro, descobrir se há algum artista no bairro, nome da rua da escola.

Pessoal
Caso queiram que detalhe alguma das propostas, é só pedir...
Beijos

Sugestões para prática de sala de aula


Atividade Temática:
Virei bicho (Animais)
Montar fazendinha na sala - utilizar figuras de livros mais antigos, recortar e colar na caixa de fósforo, o cercado de palitos de picolé ou gravetos.
Maquete de zoológico
Pescaria - com peixinhos feitos de caixa de leite, anzol de clips aberto, vara de palito de churrasco.
Dobradura
Livro de histórias
Produção de álbum
Alfabeto dos animais - Ex: A de abelha, B de borboleta, C de cachorro,...
Memória - com figuras de livros didáticos que não estão no novo acordo ortográfico.
Dominó - as crianças produzem recortando livros e revistas.
Bingo com a letra inicial do nome do animal
Construção de sucata com a moradia de cada animal trabalhado
Quebra-cabeça
Dramatizações
Desfile de fantasias - feitas de folha de jornal (espadas, chapéus, capas).
Máscaras com pratos de papelão
Produção do animal com sucata
Produção do animal com balão

Trabalhando o Livro didático na Educação Infantil


Quando escolhemos um livro, escolhemos muito mais do que atividades para serem realizadas. Escolhemos uma metodologia, um novo olhar, um caminho...
Mas não um caminho em si mesmo, o livro é o registro das conquistas práticas.


O professor tem que estudar e se apaixonar pelo material, desenvolver projetos compatíveis, planejar datas comemorativas no contexto do material e acima de tudo, CRIAR.
Na educação infantil a prática educativa precisa ser contextualizada, tornando a aprendizagem significativa e desafiadora.

Oficina em Ipú


Pessoal
Um abraço muito carinhoso ao grupo de Educação Infantil de Ipú!
A oficina foi show! Vocês produziram maravilhas...
Utilizem com carinho. Ah! Não esqueçam o Estimulante Pedagógico. Hehehe...

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Visitantes - Que bom ter você aqui!



Oficina de jogos







Que grupo legal! Um grande abraço!

Oficina do Livro didático em Santana do Acaraú


Registrando...
Dançando:
Um passinho cá, um passinho lá
Gosto de cantar e de dançar
Tra lá lá
Calcanhar e ponta
Giro 1,2,3
Até logo!
Olá, muito prazer!
Tra lá lá.